DESTAQUES

Aprende-se pela emoção e pela repetição

Marta Relvas 08/06/2017 COMPORTAMENTO
Aprende-se pela emoção e pela repetição
Fonte: imagem Pixabay
Sem emoção, não se desperta o interesse

por Marta Relvas

É no cérebro que as memórias cognitivas e emocionais são construídas. Por esta razão, torna-se necessário que o professor reconheça a importância desse estudo para promover a melhoria em suas práxis pedagógicas, e reconhecer como essa específica função executiva, desperta a cognição e a inteligência dos estudantes.

Estudos indicam que é pela repetição dos estímulos que a aprendizagem acontece, pois, as conexões neurais tornam-se fortalecidas, devido o aumento do potencial de ação da célula especializada do sistema nervoso, o neurônio. À medida que os neurônios se conectam, promove-se um aumento do neurotransmIstor denominado glutamato.

Fortalecendo a informação escrita recebida no texto: "Quanto mais se repete a ação, mais consolidada é a reação entre as células neuronais".

A memória é processada da seguinte forma: quando um percurso sináptico é percorrido várias vezes, ele se torna mais facilitado. Isto é memória. A memória é causada pela alteração na capacidade de transmissão sináptica de um neurônio como resultado da atividade neuronal prévia. Quando eu digo: o hemisfério dominante da linguagem é o esquerdo. Essa é uma frase que eu disse. Essa frase quando entrou no seu ouvido, chegou ao córtex, percorreu um circuito sináptico. Uma vez tendo passado pelo circuito sináptico, quando eu disser pela segunda vez vai passar de novo. Quando pensar pela terceira vez, só com o pensamento, você vai conseguir ativar esse circuito sináptico. Isto é: LEMBRAR.

Lembrar é ter o circuito sináptico tão facilitado, que o meu pensamento ativa esse circuito sináptico. Isto é memória. Então é facilitar o percurso sináptico, por esse percurso já ter sido percorrido previamente. Então, se eu leio vinte vezes a página de um livro, com certeza eu vou acabar lembrando da informação, porque vinte vezes aquela informação percorreu o circuito sináptico. Então a repetição fixa a memória.

Se o estudante apresentar motivação pela informação recebida ou se for um estímulo queira muito saber, uma única passagem já facilita maximamente esse circuito sináptico.

Em outras palavras. Quando o estímulo aguça a atenção e a motivação, cria-se um aumento neuroquímico no circuito de recompensa do cérebro, provocando então, uma ação fisiológica da sinapse elétrica e química entre os neurônios. Dai a importância da memória aplicada para aprendizagem no cotidiano escolar.

Uma dica importante: os conteúdos desenvolvidos em sala de aula, precisam estar emodulrados nos processos emocionais para despertar o interesse dos aprendentes.




TAGS :

    aprende, emoção, repetição, cérebro, lembrar, neuroquímico

Marta Relvas

É Bióloga, Dra e Ms em Psicanálise, Neuroanatomista, Neurofisiologista, Psicopedagoga e Especialista em Bioética. Tem certificação internacional em Educação na Abordagem Reggio Emília na Itália e Title in Education Neurosciences and childhood and adolescence learning of Erasmus+ University – Europe – Portugal. É Membro Efetiva da Sociedade Brasileira de Neurociência e Comportamento, e da Associação Brasileira de Psicopedagogia. Autora de livros e DVDs sobre Neurociência e Educação pela Editora WAK e Editora Qualconsoante de Portugal. Professora Universitária da AVM Educacional / UCAM, UNESA - RJ e Professora Pesquisadora convidada no curso de Pós-graduação de Neurociência do IPUB/ UFRJ. Coordenadora do Programa de Pós-graduação de Neurociência Pedagógica na UCAM / AVM Educacional. Palestrante no Brasil e no exterior.



ENQUETE

Você prefere ouvir o quê?







VOTAR!
Vya Estelar - Qualidade de vida na web - Todos os direitos reservados ®1999 - 2017
O portal Vya Estelar não se responsabiliza pelas informações e opinião de seus colunistas emitidas em artigos assinados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação.