DESTAQUES

O tipo dissimulado no ambiente de trabalho

Roberto Santos 09/05/2017 COMPORTAMENTO
O tipo dissimulado no ambiente de trabalho
Fonte: imagem Revista do RH
Passivo-resistente: um tipo perigoso e difícil de se lidar

Por Revista do RH

Aquele sorriso amarelo após um pedido? Fofoca no escritório? Pequenos motins? Um dos 11 descarriladores medidos pelo Inventário Hogan de Desafios (HDS) é o Passivo-Resistente. As pessoas com essa tendência podem apresentar sete atitudes passivo-agressivas que acabam derrubando sua credibilidade, quando sua simpática dissimulação é percebida pelas pessoas que convivem com elas.

Pelo menos uma vez na vida todo mundo acaba tendo um comportamento passivo-agressivo, mas manipulação e "indiretas" são, para algumas pessoas, práticas bem comuns. O problema é que os passivo-agressivos passam sem serem notados no escritório ou em seus círculos sociais - ao menos inicialmente - porque eles conseguem encobrir a sua hostilidade com gestos simpáticos.

Veja sete ações que só os passivo-agressivos fazem:

1. "Esquecer" coisas deliberadamente

Os passivo-agressivos preferem ser vistos mais como esquecidos do que como pessoas que discordaram de alguma coisa. Ao invés de declinar trabalhar em um projeto ou algo, ele prefere "esquecer" o prazo de entrega.

2. Dizer sim quando eles não têm intenção de fazer aquilo com o que concordaram

Sempre no esforço de agradar, o passivo-agressivo raramente diz não. Eles preferem ignorar um convite e depois dizer que nunca receberam, do que declarar que não querem aceitar. Aceitam quando inquiridos face-a-face, mas tenderão a cancelar compromissos na última hora.

3. Agem como "traidores"

Via de regra, o passivo-agressivo não compartilha sua opinião abertamente - ele vai reclamar com outros, nunca com a pessoa alvo da sua reclamação. A forma indireta de criticar acaba complicando a vida no escritório, e criando um ambiente tóxico para outros funcionários.

4. São propositalmente "ineficientes"

Os passivo-agressivos são teimosos. Quando eles não querem fazer alguma coisa, eles geralmente agem com ineficiência a fim de evitar fazer o trabalho. Ao invés de dizer "estou tendo problemas com esse projeto", essas pessoas tendem a procrastinar de propósito na esperança que alguém termine o trabalho.

5. Mascaram seu ressentimento com um sorriso

Passivo-agressivos não expressam sua raiva ou insatisfação de maneira aberta. Muitos guardam anos de rancor. Não importa o quanto eles discordem de você, agirão sempre de maneira que parecem concordar com tudo.

6. Procuram por vingança

Escondido sob esse manto de gentileza e facilidade de relacionamento, estão muitas vezes pessoas vingativas. Nesses casos, os passivo-agressivos podem até agir de maneira inescrupulosa para retaliar aqueles que consideram tê-los prejudicado. E seus planos de vingança são geralmente indiretos - um e-mail anônimo agressivo, ou espalhar um rumor no escritório são formas que eles optarão para agir. Esses casos mais sérios são apresentados por aquelas pessoas que também têm um risco elevado nos descarriladores Cético e Ardiloso - uma mistura explosiva.

7. Manipulam pessoas

Passivo-agressivos têm dificuldade de pedir diretamente aquilo que querem; eles preferem usar táticas manipulativas para atingir seus objetivos. Por exemplo: ao invés de pedirem ajuda para carregar uma caixa, preferem reclamar do peso, ou que se machucarão. Eles não se importam se outros estão com pena, ou realmente se importando com eles - eles só querem chamar atenção para conseguir o que querem, especialmente, se possuírem o descarrilador Melodramático.

Importante se fazer uma distinção entre o que poderia ser descrito como habilidade política, tato ou diplomacia que algumas das atitudes acima podem parecer da atitude dissimulada e falsa de parecer concordar quando se critica veladamente aquilo que se aceita da boca para fora. Uma citação do iluminado Ghandi expressa isso com perfeição: "Um 'Não' expresso das convicções mais profundas é melhor do que um 'Sim' meramente falado para agradar, ou pior, para evitar problemas."

Fonte: Revista do RH/Hogan Brasil: www.revistadorh.com.br




TAGS :

    passivo, resistente, agressivo, dissimulado, ambiente, trabalho

Roberto Santos

Profissional de Recursos Humanos, com mais de 40 anos de atuação no mercado, Roberto teve diversas posições como profissional e executivo de RH em multinacionais de grande porte. É sócio-diretor da Ateliê RH, consultoria com mais de 14 anos de atuação no mercado, e distribuidor Hogan no Brasil. Mais informações: www.atelie-rh.com.br



ENQUETE

Um amor verdadeiro pode ser breve?






VOTAR!
Vya Estelar - Qualidade de vida na web - Todos os direitos reservados ®1999 - 2017
O portal Vya Estelar não se responsabiliza pelas informações e opinião de seus colunistas emitidas em artigos assinados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação.