DESTAQUES

Yoga é romper a união com a dor

Emilce Shrividya Starling 01/01/2016 AUTOCONHECIMENTO

por Emilce Shrividya Starling

Em qualquer situação em nossa vida, o importante é observar o que está acontecendo em nossa mente e emoções para entendermos o que precisa ser transformado e liberado.

Quando começamos a compreender o processo mental que nos leva à doença, depressão ou medo, assumimos o controle consciente das mudanças necessárias para nosso equilíbrio físico, mental e emocional.

É essencial o autoconhecimento de nossos pensamentos e nosso ambiente mental, pois nossos diálogos interiores provocam reações hormonais em nosso corpo, produzindo doenças ou nos curando.

Dentro de nós existe um centro de Sabedoria e Luz, e quando estamos decididos a fazer as mudanças positivas, nós atraiamos as ajudas necessárias.

Agora comece seu processo de cura sorrindo nesse momento. Simplesmente ria. Desperte sua criança interior que estava sufocada e reprimida. Não ria dos outros. Ria gostoso, varias vezes ao dia, sentindo encantamento pelas coisas simples da vida.

A gratidão é a energia mais curativa do Universo. Atraí bênçãos e liberta você do mau humor, da raiva, da impaciência, da ansiedade. Ao agradecer você está mais consciente do único momento que existe, o aqui e agora. Assim, abra seu coração para sentir gratidão por todas as coisas, pessoas e acontecimentos. Desfrute do momento presente, com bom humor e aceitação.

Como já falei no texto anterior (veja aqui), não basta tratamos o sintoma da doença, precisamos também descobrir os padrões mentais que causaram a doença. Precisamos entender que somos responsáveis pelo que sentimos, pois nós criamos nossas experiências através dos pensamentos e das palavras.

Mesmo que os pensamentos surjam, muitas vezes, sem nosso controle, quando começamos a reconhecê-los, começamos a ter controle sobre o caos da mente inquieta.

Ao observá-los, podemos escolher alimentá-los ou dissolvê-los. Podemos escolher alimentar pensamentos obsessivos que geram tristeza e insatisfação. Ou podemos desapegar-nos deles, vendo a realidade de outra perspectiva, com um olhar mais positivo.

Podemos escolher uma nova linguagem mental, desenvolvendo mais coragem, entusiasmo e alegria de viver. Para isso, precisamos nos libertar do medo e da culpa que nos paralisam e não nos deixam desenvolver nosso potencial.

Muitas pessoas duvidam que possam escolher os pensamentos. Estão tão presas e dominadas pela mente negativa, que acham que nada podem fazer para sair dessa prisão mental. Mas, precisam entender que os pensamentos podem sim ser mudados!

Talvez você também não acredite, mas tenha a certeza de que somos nós mesmos que criamos e escolhemos nossos pensamentos.

Qualquer que seja o problema, sempre estaremos lidando com os pensamentos que produzem os sentimentos e emoções. Ao cortamos o pensamento triste, eliminamos o sentimento. Portanto, podemos nos recusar a ter pensamentos negativos. Podemos criar novos padrões mentais positivos e nos libertar dos pensamentos que criavam experiências negativas ou doenças.

Liberte-se do papel de vítima ou 'coitadinho de mim'. Reconheça seu próprio poder e valor. Reconheça que contribuiu para criar muitos problemas imaginários e, que agora, pode se soltar, se libertar, reconstruindo sua autoestima.

Como disse Osho: "Se você é positivo, nada é negativo para você. Se você for negativo, então tudo será negativo para você. Você é a fonte de tudo o que existe à sua volta; você é o criador de seu próprio mundo."

Não podemos mudar o passado. Podemos, porém, mudar nossa atitude, nossos pensamentos e sentimentos em relação ao passado e às pessoas. Isso faz toda a diferença.

Não vale a pena ficarmos relembrando os erros ou sofrimentos que alguém possa ter nos causado. Além de ser uma perda de tempo, se ficarmos alimentando mágoas e ressentimentos, nós mesmos estamos criando dores em nossa alma. Nós mesmos estamos sendo nossos próprios inimigos.

Se você guarda ressentimentos profundos, comece a dissolver esses ressentimentos e mágoas agora. Não espere ficar doente, frustrado ou deprimido. Pare de alimentar esses pensamentos. Em vez disso, escolha se amar mais. Escolha pensamentos que lhe façam feliz no momento presente.

Aceitar-se não é ser conivente com os erros. Não é cruzar os braços e dizer: "Sou assim mesmo... Não melhoro". Aceitação é um sentimento positivo que nos leva a melhorar cada dia mais. Pois, quando nos aceitamos, existe amor e respeito por nós mesmos.

Quando você se amar realmente, com aceitação, e quando se aprovar exatamente como você é, tudo vai fluir melhor na sua vida. Sua saúde vai melhorar. Terá relacionamentos melhores. Atrairá a prosperidade e boas oportunidades.

Louise Hay , autora de vários livros como Aprendendo a gostar de si mesmo, ensina um método que gosto muito. Ela pede para as pessoas se olharem no espelho, sorrirem e dizerem: "Eu me amo e me aceito exatamente como sou".

Ela explica que, quando a pessoa não consegue ou não aceita fazer isso, por achar bobagem ou doloroso, a pessoa está se machucando internamente com censuras e culpa.

Faça esse exercício no espelho. Olhe bem nos seus olhos. Sorria para você. Diga: "Eu me amo. Eu me aceito".

Observe o que sente. Veja o que pensa. Lembre-se que se for difícil sorrir para você e dizer essas palavras, você ainda precisa aprender a se amar mais. Precisa se libertar das censuras.

Os pensamentos de censura e de culpa prendem você às velhas limitações que você está querendo romper. Compreenda isso e se trate com gentileza e carinho. Comece a se libertar dessas crenças limitantes e padrões mentais que lhe aprisionam.

Liberte-se de seu passado. O passado é passado. Não existe mais. Acabou. Só existe na sua mente. Não estou falando para você ficar sem memória e esquecer seu passado. Estou falando para não lembrar-se dele com emoções negativas, com ódio de alguém, com raiva ou ressentimentos. Isso é um grande erro que alguém faz para si mesmo.

Como diz a escritura sagrada Bhagavad Gita: "Yoga é romper a união com a dor." É libertar-se do ego negativo que nos aprisiona com pensamentos, sentimentos e emoções negativas, que são como venenos internos destruindo a paz e alegria interior.

O caminho para a cura interior é o perdão. Para nos libertamos, para ficarmos curados e mais felizes, é necessário perdoar os que nos ofenderam. E pedir perdão,com humildade, quando errarmos.

Perdoar não significa que precisa conviver com a pessoa ou tolerar um comportamento que nos prejudica ou fere. Perdão significa libertação e renunciar a dor causada, não remoendo esse sofrimento em nossa mente.

Perdoar é procurar viver no momento presente, desapegando-se das experiências negativas.

Mude sua maneira de pensar. Perdoe a si e aos outros. Aprenda a se amar e a se aceitar mais. Essa é a chave da mudança positiva para um futuro melhor e mais próspero. Assim, você estará no caminho do Amor do Ser interior e da autorrealização. Namaste! Deus em mim saúda Deus em você! Fique em paz!




Emilce Shrividya Starling

É formada em Yoga pela Federação de Yoga do Brasil e Centro de Estudos de Yoga Narayana/S.P, com aperfeiçoamento em Hatha Yoga e Meditação nos Estados Unidos. É professora de Hatha Yoga em Santos (SP), desde 1989. Atualmente ensina Filosofia do Yoga e Meditação.



ENQUETE

Um amor verdadeiro pode ser breve?






VOTAR!
Vya Estelar - Qualidade de vida na web - Todos os direitos reservados ®1999 - 2017
O portal Vya Estelar não se responsabiliza pelas informações e opinião de seus colunistas emitidas em artigos assinados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação.