DESTAQUES

Quatro pilares dão o termômetro de sua relação amorosa

Thaís Petroff 01/01/2016 COMPORTAMENTO

por Thaís Petroff

"Não escolhemos estar em um relacionamento para estarmos sozinhos..."

Na terapia de casal através da TCC, trabalhamos com quatro pilares que nos ajudam a "diagnosticar" como vai a relação, e assim poder trabalhar seus pontos nevrálgicos e traçar um prognóstico.

As peças-chaves em um relacionamento amoroso são: planos futuros, resolução de conflitos, comunicação afetivo/sexual, companheirismo e identidade de interesses.

Vamos discorrer um pouco sobre cada um:

Planos futuros

Há uma frase de Antoine de Saint-Exupéry (autor do "Pequeno Príncipe) que diz: "Amar não é olhar um para o outro, é olhar juntos na mesma direção." Sob esse mesmo prisma, acreditamos que casais com planos futuros em comum têm mais chance de sucesso na relação, já que planejam suas vidas com objetivos semelhantes. Já quando há planos futuros distintos há mais chance de conflitos e afastamento.

Reflita se em seu relacionamento vocês olham para o mesmo lugar ambicionando situações próximas ou se anseiam chegar em lugares diferentes e não sabem (ou talvez não queriam pensar agora) como farão para "encaixar" essas diferenças na jornada de cada um.

Resolução de conflitos

Casais que competem por ganhar a briga ou por quem é que dá a palavra final ou ainda que resistem em fazer as pazes esperando que o outro venha desculpar-se ou se reaproximar não têm um bom prognóstico.
Conflitos constantes e, mais que isso, o modo como lidamos com eles podem desgastar e muito um relacionamento. Não há bom sentimento que perdure diante de brigas frequentes. A maneira com que ambos lidam com as diferenças de opinião (gerando ou não uma briga) e, posteriormente, caso a conversa comece a se inflamar, como a resolvem; diz muito sobre a durabilidade e saúde de uma relação amorosa.

Você é do tipo que não dá o braço a torcer? Ou que seguidamente percebe algo que o incomoda e resulta em uma discussão? Se seguirem nesse caminho, há uma chance muito grande de dissolução do casal.

Comunicação afetivo/sexual

A troca em um relacionamento amoroso é algo bastante significativo. Se ambos gostam de compartilhar suas ideias um com o outro e sentem-se ouvidos, se percebem que o outro demonstra afetividade, sentem-se queridos, atraídos um pelo outro, tendo um bom entrosamento sexual, essa área caminha muito bem.

Apresentar escassez ou problemas no diálogo entre vocês ou ainda na troca afetiva ou nas relações sexuais merece um sinal de alerta e necessidade de cuidar dessa área, do contrário certamente alguém sentirá falta disso e desejará obter de outra fonte.

Companheirismo e identidade de interesses

Se você gosta de praia e ele de campo, você é do dia e ele da noite, você adora shopping e ele acampar... como participarão da vida um do outro?

Cada um traz para uma relação bagagens diferentes, mas quanto mais ambos tiverem interesses em comum ou toparem incorporar esses aspectos no relacionamento, maior a chance de compatibilidade. Se não houver companheirismo (fazer as coisas juntos, participar um da vida do outro) então mesmo com status de namoro/casamento cada um estará só.

Se vocês têm pouco em comum ou pouco participam um da vida do outro vale acender o farol vermelho e olhar para isso já! Encontrem interesses em comum e coloquem-nos em prática juntos ou procurem experimentar coisas que ainda não tenham feito para aumentar o leque de interesses de vocês.

Não escolhemos estar em um relacionamento para estarmos sozinhos, buscamos alguém conosco, ao nosso lado; um parceiro para a vida.

 

COMUNICAR ERRO

Thaís Petroff

Formada em Psicologia pela PUC-SP. É Pós-Graduada em Psicologia da Infância com ênfase em Desenvolvimento Humano e Psicologia Hospitalar pela Unifesp. Possui Formação em PNL (Programação Neuro Linguística) pelo Instituto de Performance Humana Continuum e certificada pela American Board of NLP. Cursou Aprimoramento em Psicossomática na abordagem Winnicottiana pelo Cogeae-PUC-SP. É psicoterapeuta, atuando através da Terapia Cognitivo Comportamental (TCC). Mais informações

ENQUETE

Assistir a filmes com uma boa história é uma forma de adquirir autoconhecimento?





VOTAR!
Vya Estelar - Qualidade de vida na web - Todos os direitos reservados ®1999 - 2017
O portal Vya Estelar não se responsabiliza pelas informações e opinião de seus colunistas emitidas em artigos assinados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação.