DESTAQUES

Estou perdida e não sei que rumo dar à minha carreira. O que faço?

Roberto Santos 01/01/2016 AUTOCONHECIMENTO

Por Roberto A. Santos

"Sou formada em publicidade e propaganda. Trabalho como assistente comercial em uma fábrica de alimentos e simplesmente odeio o que faço. Além de ser uma empresa que não tem a cultura de motivar ou incentivar os funcionários, acabo desenvolvendo todo o trabalho do meu setor e meu gerente levando os louros. Fiz muitas entrevistas mas não obtive retorno, uma pós seria inviável no momento pelo investimento financeiro. Estou perdida, não sei que rumo dar à minha carreira e isso esta me deixando depressiva e maluca. Por onde posso recomeçar?"

Resposta: Sua situação não é muito diferente daquela de inúmeras pessoas que acabam tendo que escolher entre ter um emprego que lhes traz infelicidade e ficar desempregado até encontrar o emprego perfeito, na empresa perfeita. Infelizmente, esse paraíso você nunca vai encontrar.

As empresas, à imagem e semelhança de seu criador, o ser humano, são imperfeitas. O que você pode fazer, é ser tão criteriosa na seleção de seu novo emprego, quanto provavelmente será o pessoal que irá selecioná-la para a vaga: faça perguntas, pesquise na Internet, procure falar com pessoas que trabalham ou trabalharam na empresa, converse abertamente com seu futuro chefe, para conhecê-lo melhor.

Enfim, você também faz a seleção de onde você vai “depositar” seu cérebro e coração nos próximos anos. Creio que uma pós-graduação não seja sua prioridade agora, mas sim se dedicar a buscar uma alternativa de emprego, preferencialmente, enquanto está empregada. Você é muito jovem e tem muito tempo pela frente, mas não vale a pena desperdiçar parte de seu tempo e de seus ideais com um emprego que a faz infeliz. Boa sorte!

 Estou 'engessado' no meu atual emprego e não tenho nível universitário. O que fazer?
Trabalho numa empresa há 22 anos, entrei com 14 como office-boy, passei pelo faturamento, fiz alguns cursos, mas não tenho nível universitário. De uns três anos para cá, não tenho mais perspectiva. Infelizmente a empresa está muito mal na direção administrativa. Os donos só apertam os funcionarios. Sempre dei o meu sangue, mas sempre me podaram.

Resposta: Você é muito jovem e entendo como está difícil e competitivo o mercado de trabalho. O curso universitário começa a ser quase que uma condição mínima para emprego em muitas empresas, pelo menos o curso iniciado. Por este motivo, acho que você deveria se estruturar financeiramente, ou seja, ter um tempo para voltar a estudar, mesmo que seja um curso seqüencial de dois anos, na área que mais lhe atrai. Quer gostemos ou não, estamos num mercado, onde a lei de oferta e procura funciona, e os profissionais precisam se diferenciar por sua educação, por suas habilidades, por sua personalidade, por seu círculo de relacionamentos, etc. Boa sorte!




Roberto Santos

Profissional de Recursos Humanos, com mais de 40 anos de atuação no mercado, Roberto teve diversas posições como profissional e executivo de RH em multinacionais de grande porte. É sócio-diretor da Ateliê RH, consultoria com mais de 14 anos de atuação no mercado, e distribuidor Hogan no Brasil. Mais informações: www.atelie-rh.com.br



ENQUETE

Um amor verdadeiro pode ser breve?






VOTAR!
Vya Estelar - Qualidade de vida na web - Todos os direitos reservados ®1999 - 2017
O portal Vya Estelar não se responsabiliza pelas informações e opinião de seus colunistas emitidas em artigos assinados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação.