DESTAQUES

Minha esposa não liga para sexo. O que faço?

Sandra Vasques 01/01/2016 COMPORTAMENTO

por Sandra Vasques

Resposta: É realmente um problema quando um dos parceiros quer fazer sexo muito mais que o outro, e não conseguem chegar a um acordo, pois a insatisfação será crescente. Muitos casais enfrentam esta situação que gera muitos conflitos - um começa a reclamar do outro dizendo que não há compreensão, cada um olhando para o seu lado da história.

Diferença de ritmo sexual

Pode estar acontecendo uma diferença de ritmos, em que você sente mais necessidade de sexo que ela para se satisfazer. Mas a busca de um equilíbrio é importante, pois você inclusive diz que não agüenta mais.

O diálogo franco é sempre um bom caminho. Sem acusações, mas deixando claro como o sexo é importante para você e como você se sente mal, ansioso e frustrado porque não acontece com mais freqüência. E daí, procurar saber o que a estimularia a ter mais encontros, como novidades, buscar viver mais situações românticas, mais carinhos, não só na hora do sexo, mas em outros momentos do dia.

Em alguns casos, a mulher pode estar insatisfeita com o jeito como a relação acontece e não tem coragem de falar abertamente, então, evita. Portanto, também é preciso estar aberto para ouvir o que ela tem a dizer.

Mas responda para você mesmo outra questão:

Vocês sempre tiveram esse ritmo, com ela querendo sexo menos frequentemente que você ou isso começou agora, ou a partir de uma data específica?

Houve algum fato que pode tê-la deixado magoada ou insegura? Esses sentimentos mal resolvidos também podem levar a uma diminuição da vontade de transar. E nesse caso, é necessário resolver primeiro o fato que produziu o afastamento. Além disso, uma consulta ao ginecologista sempre é interessante para verificar alguma alteração hormonal que possa estar interferindo.

No entanto, se sua mulher sempre foi assim, ela também pode ter um problema, uma diminuição ou ausência do desejo sexual. São vários os fatores que podem levar a essa condição, e é bom saber que um tratamento psicológico pode mudar esse cenário.

Assim, avalie, converse com sua parceira e busquem uma alternativa. Ela precisa saber que essa situação está ficando insustentável. Ela então poderá escolher junto com você, qual o melhor caminho para solucionar esse impasse. Mas, se ela não quiser mudar mesmo depois de uma conversa franca e amorosa, então é hora de você olhar para a sua vida e fazer suas escolhas. Nem sempre é fácil optar pela felicidade.

Atenção!
As respostas do profissional desta coluna não substituem uma consulta ou acompanhamento de um profissional de psicologia e não se caracterizam como sendo um atendimento

 

Sandra Vasques

Psicóloga, enfermeira, com especialização em sexualidade humana e formação em psicodrama. É orientadora sexual, atuando no Instituto Kaplan – Centro de Estudos da Sexualidade Humana - desde 1993. Leciona cursos de formação de educadores e terapeutas sexuais e atua como congressista. Co-autora dos materiais educativos Jogo de corpo, Aprendendo a viver; Vale sonhar, Valores em jogo e do Manual de atenção a educação sexual de crianças e adolescentes portadores do HIV - Viver Positivamente.

Vya Estelar - Qualidade de vida na web - Todos os direitos reservados ®1999 - 2016
O portal Vya Estelar não se responsabiliza pelas informações e opinião de seus colunistas emitidas em artigos assinados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação.