DESTAQUES

Minha parceira é ninfomaníaca. O que eu faço?

Sandra Vasques 01/01/2016 COMPORTAMENTO

por Sandra Vasques

"Minha parceira é ninfomaníaca. Quais são as formas de lidar com isso quando o interesse em sexo começa a conflitar?"

Resposta: Ninfomania existe quando uma mulher tem uma necessidade insaciável por sexo. Ela tem fantasias sexuais persistentes, tem relações sexuais e não se satisfaz, não consegue controlar seus impulsos, o pensamento e o desejo de sexo ocupam a maior parte de seu tempo, o que, em geral, atrapalha seu relacionamento com os amigos, com o parceiro, com a profissão. Enfim, não é algo saudável.

Qual a diferença entre ser ninfomaníaca e gostar de sexo?

É preciso tomar cuidado ao dizer que uma mulher é ninfomaníaca. Se ela gosta de sexo e quer sexo todos os dias, mas consegue controlar essa necessidade quando não é possível ter o que deseja, mantém um bom relacionamento com as pessoas, é produtiva profissionalmente, consegue ter atividades saudáveis, fazer esporte, ir ao cinema, estudar. Então isso só quer dizer que ela gosta bastante de sexo e ponto, saudável.

Se a parceira realmente é ninfomaníaca, ela deve estar infeliz, pois essas mulheres sentem-se sem controle de suas vidas, sentem-se insatisfeitas e culpadas após o ato sexual. Então, realmente precisam de ajuda. De sua parte você pode dar apoio, em primeiro lugar ajudando-a a procurar um psiquiatra, que depois de medicá-la, também a encaminhará para um processo psicoterápico.

Em segundo lugar será bom para ela contar com a compreensão e estímulo de um parceiro amoroso e firme que permaneça ao seu lado durante esse processo de tratamento, até que consiga superar essa dificuldade e viver adequadamente sua sexualidade.

No entanto, é importante que você saiba quais são seus limites. Por mais que sua parceira precise de você e por mais carinho e consideração que você possa ter por ela, pode ser difícil permanecer ao seu lado. Pode ser que esteja acima de suas possibilidades e que te traga muito sofrimento. Nesse caso é importante ser sincero consigo e com ela. Se você não conseguir permanecer ao lado dela como parceiro, pode permanecer como amigo.

Se você se deu conta, após ler esta resposta, que sua parceira não é ninfomaníaca e que provavelmente o fato é que ela quer sexo com mais frequência que você, então a questão é que precisam ajustar o ritmo do relacionamento. Nesse caso, é preciso conversar e deixar claro que não está satisfeito. Dizer que não sente tanta necessidade de sexo quanto ela e propor menos relações sexuais, e mais de outras expressões de afeto e interesse, como dançar, ouvir música ou assistir filmes juntos. É claro que a reorganização do ritmo deve ser justa e equilibrada para ambos. Isso será possível se os dois considerarem o relacionamento valioso e estiverem dispostos a fazer concessões, sem sofrer demais por isso. Avalie qual é o caso de vocês e tenha sucesso em suas decisões.

Sandra Vasques

Psicóloga, enfermeira, com especialização em sexualidade humana e formação em psicodrama. É orientadora sexual, atuando no Instituto Kaplan – Centro de Estudos da Sexualidade Humana - desde 1993. Leciona cursos de formação de educadores e terapeutas sexuais e atua como congressista. Co-autora dos materiais educativos Jogo de corpo, Aprendendo a viver; Vale sonhar, Valores em jogo e do Manual de atenção a educação sexual de crianças e adolescentes portadores do HIV - Viver Positivamente.

Vya Estelar - Qualidade de vida na web - Todos os direitos reservados ®1999 - 2016
O portal Vya Estelar não se responsabiliza pelas informações e opinião de seus colunistas emitidas em artigos assinados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação.