DESTAQUES

Inconsciente está comprometido com nosso projeto de felicidade

Roberto Goldkorn 01/01/2016 AUTOCONHECIMENTO
A expressão seguir o coração quer dizer justamente isso ...

por Roberto Goldkorn

O casal foi a um restaurante onde ele pretendia oficializar seu "noivado", e ela iria dar a grande notícia: estava grávida! Ela foi ao banheiro e sobre a mesa deixou o celular que vibrou, anunciando uma mensagem de texto. O quase noivo (e futuro papai) curioso pegou e abriu a mensagem, era o ex, dizendo que ele também acreditava que ainda havia amor e portanto esperança entre eles.

Imagine a cena, o barraco que se seguiu: o choro desesperado dela, a ira quase descontrolada dele etc. Mas ela teve êxito em reverter a história e de tanto batalhar conseguiu reatar e engatar o tal noivado.

Mesmo ressabiado o agora noivo decidiu que a amava tanto, que estava disposto a passar por cima daquele deslize, afinal um filho seu estava a caminho. Foram em frente...

Nos meses que se seguiram o rapaz começou a demonstrar seu lado sombrio, psicopata. Ciumento patológico, agressivo, destrutivo. A moça agora já ostentando seu barrigão de oito meses, vivia um inferno duplo: o presente ao lado de um alucinado, e o futuro onde tudo que estava ruim certamente iria piorar.

Dois anos e meio de sofrimento depois, ela finalmente jogou a toalha e conseguiu se separar numa operação que envolveu a ajuda de familiares e até a polícia!

Conheci dezenas de casos assim, onde um descuido levou a descoberta de um deslize por parte de um dos membros do casal, que por sua vez foi "superado", "perdoado", "relevado" em nome do amor, mas que algum tempo depois passou a ter um significado de alerta não compreendido.

Certamente, você que está lendo, pode identificar algum caso conhecido ou até se identificar. O que pareceu uma "bobeira", um esquecimento, um rastro do "crime" não apagado, no fim se mostra um aviso, uma sinalização de que aquele relacionamento não deveria ir em frente.

Psicopatologia da vida cotidiana

Freud escreveu sobre esse "poder" em seu pequeno notável livro Psicopatologia da Vida Cotidiana, onde ilustra como essa "energia" chamada por ele de Inconsciente pode agir nos fazendo esquecer algo ou tropeçar e cair, chegar atrasado no compromisso (que no fundo não queríamos ir) porque a chave do carro simplesmente sumiu e outras traquinagens desse algo ainda misterioso chamado por ele de Inconsciente, pelos místicos de "deus interior, ou até de anjo da guarda".

O Inconsciente sabe de tudo! Jung, discípulo renegado de Freud afirmava que O Inconsciente pessoal estava conectado ao Inconsciente coletivo, que por sua vez era o HD externo de toda a memória da Humanidade - um espaço-tempo "quântico" onde passado, presente e futuro transitam sem cerimônia e sem respeitar seus devidos "quadrados".

Se isso for verdade, significa que foi esse mecanismo de busca de minha personagem acima, que a fez dar essa bobeira de esquecer o celular ou de não apagar as mensagens de seu ex, no intuito de sabotar o futuro relacionamento que ele (o Inconsciente) sabia que não iria prestar.

Mas o consciente dela (padrões culturais), não se abalou e lutou bravamente para seguir em frente... e deu no que deu.

As implicações disso são muitas, complexas e poderiam render um livro, tantas as variáveis possíveis, das mais céticas às mais místicas (que levantariam a tese do Carma ou Destino), passando pelas explicações racionalistas que contestariam essas estatísticas, ou até as debochadas que não veriam nesse padrão nada mais que um processo de esquecimentos e fatalidades.

Como tenho o privilégio de trabalhar com esse material chamado "gente" e seus universos emocionais/sentimentais, não consigo deixar de perceber um nexo causal, a atuação de uma energia inteligente.

Percebo também que nem sempre, ou melhor, quase nunca esses avisos aos navegantes são percebidos como tal e assim seguidos. Ao contrário, a forte determinação do ego, das expectativas prévias das pessoas, de seus empenhos e "força de vontade" fazem com que lutem com todas as suas forças para corrigir os "erros" (também chamados de mensagens do Inconsciente), e conquistar suas metas. No final veremos *vitórias de Pirro, o sucesso da infelicidade.

Conheço dezenas de relacionamentos absolutamente infelizes, que perduram por anos, gerando miséria emocional, sofrimento, frustração, mas que em determinado momento de seu início tiveram esse "tropeço", esse aviso aos navegantes, que foi solenemente ignorado por um dos membros do casal que lutou para superar e conquistar seu objetivo.

Ainda existe um mundo de possibilidades para serem exploradas nesse tema, mas sugiro que fiquem atentos a essas "mensagens" travestidas de lapsos de língua (chamar a nova namorada pelo nome da ex), esquecimentos causadores de encrenca, sonhos marcantes e repetitivos: pode ser o seu deus Inconsciente querendo impedir que siga em frente e quebre a cara. O Inconsciente sabe que adiante existe uma ponte sobre um abismo que desabou.

A expressão seguir o coração, quer dizer justamente isso, mas ainda não entendemos que o Inconsciente está a nosso favor, está comprometido com o nosso projeto de felicidade.

* Vitória pírrica ou vitória de Pirro é uma expressão utilizada para expressar uma vitória obtida a alto preço, potencialmente acarretadora de prejuízos irreparáveis. A expressão recebeu o nome do rei Pirro do Épiro.




Roberto Goldkorn

É escritor e autor dos seguintes livros: "Feng Shui para Brasileiros - A Medicina da Habitação", "Feng Shui - Energia e Prosperidade no Trabalho", "Feng Shui Para Brasileiros - A Cozinha" - todos pela Editora Campus. "Não Te Devo Nada" e "Solidão Nunca Mais" ambos pela Bertrand Brasil.



ENQUETE

Você é feliz no trabalho?





VOTAR!
Vya Estelar - Qualidade de vida na web - Todos os direitos reservados ®1999 - 2017
O portal Vya Estelar não se responsabiliza pelas informações e opinião de seus colunistas emitidas em artigos assinados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação.