DESTAQUES

Mitos e verdades sobre ganho e perda de peso

Redação Vya Estelar 01/01/2016 SAÚDE E BEM-ESTAR
Dieta pode funcionar para uma pessoa e não funcionar para outra

por Alex Botsaris

O excesso de peso é um dos problemas mais comuns que existem. No Brasil, segundo as estatísticas cerca de 35% da população é de obesos ou de pessoas com sobrepeso. Não bastasse isso os padrões de estética atuais exigem que a mulher seja magrinha, fazendo com que 9 entre cada 10 mulheres esteja insatisfeita com seu peso e desejando emagrecer.

Essa situação cria uma ambiente extremamente favorável à proliferação de dietas e mitos sobre emagrecimento, a maioria sem muito fundamento. Um das confusões mais comuns que existe é entre emagrecer e perder peso. Perder peso não significa sempre emagrecer, nem ganhar peso significa sempre engordar. Por isso é tão comum as pessoas tomarem diurético em regimes de emagrecer.

Diurético tira água do organismo, o que é a maneira mais rápida de perder peso – entretanto essa perda de peso não significa nenhum emagrecimento, no sentido de perder gordura (que em linguagem médica chamamos de massa gorda). Tomar diurético é uma maneira de se enganar achando que emagreceu, porque o ponteiro da balança está apontando algumas gramas a menos.

Tomar vitamina engorda?

Um comentário quase unânime entre as mulheres é: “vitamina engorda”. Realmente em alguns casos vitamina pode levar a um aumento de peso, mas é por aumento de massa muscular (massa magra), e não aumento de gordura. Isso é particularmente verdade em mulheres semidesnutridas porque passam a vida fazendo dietas equivocadas na busca do peso ideal. Nesse caso ganhar peso às custas de músculo é um lucro, porque vai ajudar a perder gordura adiante. Vários estudos mostram que pessoas que possuem musculatura desenvolvida, possuem muito mais facilidade para emagrecer, que aquelas com pouca massa muscular.

Beber água durante as refeições dá barriga?

Outros mitos - como beber água nas refeições dá barriga – já podem ter algum fundamento. Beber muita água com a comida causa um aumento do volume do bolo alimentar. Com o tempo isso pode dilatar a parede do estômago, reduzindo a sensação de saciedade, e finalmente a pessoa acaba comendo mais e engordando. É comum também as pessoas acreditarem que o jantar é a refeição que mais causa acúmulo de gordura no organismo e que, por isso, deve ser suprimido. Efetivamente numa dieta bem equilibrada, ele deve ser uma refeição mais frugal que o almoço, porque de noite reduzimos nosso metabolismo, o que pode facilitar mais o acumulo de gorduras no organismo. Entretanto suprimir completamente o jantar é ruim porque a pessoa acaba acordando com fome demais e cometendo excessos que comprometem o regime alimentar

Perda rápida de peso não equivale a dieta eficiente

Pessoas em geral acreditam que, quanto mais rápido se perde peso, melhor é a dieta, e buscam regimes com esse perfil. Isso é um engano. Quanto mais rápido se perde peso, menos fisiológica é a alimentação, e mais provável que a perda de peso reflita perda concomitante de massa muscular. Dietas muito radicais fazem mal à saúde. Os resultados além de ruins, são muito mais difíceis de ser sustentados e a pessoa costuma engordar quase tudo que perdeu de volta. O ideal é uma alimentação equilibrada que gere uma perda entre meio e um quilo por semana.

Dietas da moda

O problema é que esse é um filão onde os agentes do mercado querem inovar de alguma maneira de olho no negócio. Com isso surgem as tais dietas da moda, não raro preconizando hábitos alimentares pouco fisiológicos. Uma recomendação frequente á abolir um grupo de alimentos que tem mais potencial calórico, como carboidratos ou gorduras da dieta, comendo quantidade maiores de proteína. Isso é ruim porque o organismo tem necessidade de alguma quantidade desses alimentos, gerando uma nutrição incompleta e pouco saudável. Outra tendência é trazer um conceito que seja atrativo e usá-lo como carro-chefe da alimentação, mesmo que ele não tenha fundamento científico, como é o caso da dieta pelos grupos sanguíneos.

Efetivamente as pessoas são diferentes em sua capacidade de emagrecer ou engordar – como preconiza a dieta dos grupos sanguíneos – mas essas diferenças são determinadas por um grupo grande de gens, o que é chamado de herança poligênica pela medicina. Assim, todos precisam encontrar o seu ponto de equilíbrio na alimentação, e manter uma alimentação saudável, se desejam controlar o seu peso. Algumas pessoas precisam realmente de restringir muito mais a quantidade de calorias que ingerem para não engordar. Hoje em dia, com o aumento da oferta de alimentos, precisamos estar sempre atentos para não ganhar peso.




Criteo Publicidade:

Redação Vya Estelar



ENQUETE

“Nada mais indigesto para o mundo que a liberdade de uma mulher", diz Fernanda Young. Você concorda?






VOTAR!
Vya Estelar - Qualidade de vida na web - Todos os direitos reservados ®1999 - 2017
O portal Vya Estelar não se responsabiliza pelas informações e opinião de seus colunistas emitidas em artigos assinados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação.