DESTAQUES

Estou realmente carente ou criei expectativas?

Eduardo Yabusaki 01/01/2016 AUTOCONHECIMENTO
Observe se você não cria expectativas rápido demais

por Eduardo Yabusaki

Existem pessoas que são mais carentes no plano afetivo.

Entretanto, antes de identificar-se como tal, é importante avaliar o quanto desse sentimento está associado à forma de se relacionar com as pessoas ou se é decorrente de circunstâncias.

Os três tipos de carência:

1º) Carência por necessidade de atenção exagerada

A pessoa pode ser carente por uma característica sua em que possui necessidade de atenção exagerada, seja da pessoa amada, ou mesmo de alguém com quem tenha uma amizade profunda. Entretanto, ela sempre quer mais e mais atenção, não se dando por satisfeita. Quando na sua avaliação, não tem sua necessidade afetiva preenchida, ou seja, necessita de demonstrações afetivas mais presentes e constantes, inclusive mais do que qualquer pessoa possa suprir; não se dará por satisfeita por mais que receba. Nessas condições procure por ajuda, pois pode ser um sinal de que a sua estrutura emocional não esteja bem.

2º) Carência devido a expectativas criadas

Outra situação é aquela em que se precisa avaliar se a carência não é gerada por expectativas criadas ao se relacionar com as pessoas. Ou seja, num relacionamento amoroso ou mesmo de amizade, pelo grau de envolvimento ou tempo de conhecimento, passa a ter expectativa de estar mais próximo da pessoa com mais demonstrações de afetividade e sentimentos. Entretanto, essa expectativa é só dela e a pessoa envolvida está satisfeita ou bem com o nível de envolvimento e demonstração efetiva.

3º) Carência devido à falta de manifestação de sentimentos da outra pessoa

Podem existir situações em que a carência pode ser decorrente da falta efetiva de correspondência da outra parte. Ou seja, não há a menor manifestação da outra parte, seja de sentimentos de afeto ou carinho. Nessas situações é importante avaliar se tal vínculo vale a pena mesmo ou não. Mesmo que as demonstrações não sejam recíprocas, você pode avaliar e concluir que é o jeito da outra pessoa, e ainda assim considerar que é importante manter o vínculo, porém sem maiores expectativas quanto ao que possa receber.

Necessidades afetivas e por demonstrações de sentimentos todos temos. No entanto, é importante avaliarmos o quanto isso possa ser só expectativas, ou o quanto isso se torna carência com desejos ou necessidades irreais.

Estou realmente carente ou criei expectativas?

1. Avalie e verifique se você tem uma expectativa razoável em relação às manifestações que espera das pessoas, não se contente com pouco, mas também não espere além do que possam dar.

2. Observe se você não cria expectativas rápido demais, ou seja, envolvimento afetivo e emocional dependem de conhecimento e evolução, portanto, precisam de tempo e convivência para que possam acontecer.

3. Leve em conta se a pessoa com quem está se envolvendo está na mesma sintonia que você, pois você pode estar criando expectativas com pessoas que demonstram não estar disponíveis ou que não irão corresponder no mesmo nível.

4. Doe-se afetivamente sim, porém dedique-se na medida em que perceba e sinta que esteja recebendo também. Não na mesma proporção ou como moeda de troca, mas sim na medida que sinta que há envolvimento, transparência e sinceridade no vínculo.

Acredite e curta sempre!

COMUNICAR ERRO

Eduardo Yabusaki

Eduardo Yabusaki - Psicólogo e Sexólogo Especializado em Terapia Comportamental Cognitiva, Terapia de Casal e Terapia Sexual. Coordenador do Curso de Sexologia Clínica ministrado em diferentes cidades há mais de 15 anos. Docente convidado do Curso de Fromação em Sexologia Clínica de BH. Responsável pelo www.vidadecasalbh.com.br

ENQUETE

A pochete masculina dos anos 90 está voltando... Isso é brega?





VOTAR!
Vya Estelar - Qualidade de vida na web - Todos os direitos reservados ®1999 - 2017
O portal Vya Estelar não se responsabiliza pelas informações e opinião de seus colunistas emitidas em artigos assinados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação.