DESTAQUES

Não podemos pensar uma coisa e sentir outra

Emilce Shrividya Starling 01/01/2016 COMPORTAMENTO
Não podemos pensar uma coisa e sentir outra
Fonte: Imagem Pixabay
Somos afetados pelo que acontece dentro de nós

por Emilce Shrividya Starling

Desde crianças e jovens, nossa mente foi programada e condicionada. Fomos moldados pelas influências externas e vemos as coisas como foram descritas para nós. Assim, nossas opiniões, crenças, percepções, gostos e reações fazem parte dessa programação que nos foi emprestada pelos outros.

Por isso o Yoga diz que precisamos nos libertar desses condicionamentos e conhecer a Verdade em nosso interior. A maior e mais nobre Verdade é que não somos pecadores, e sim que somos divinos, pois a chama de Deus habita dentro de nós como o Ser interior.

O processo do Yoga é despertar essa chama divina em nós. É acender a aspiração pela divindade. É acender a vontade da alma para essa conexão com o Ser interior, fonte de toda Luz, amor universal e sabedoria.

Quando começamos a praticar Yoga, vamos tendo insights, intuições e melhor discernimento. As dúvidas vão se dissolvendo em nossa vida diária e vamos agindo com mais sabedoria e compreensão.

As práticas regulares de meditação, canto dos mantras e técnicas de relaxamento nas modalidades do yoga como Yoga Nidra e Hatha Yoga causam uma evolução espiritual espontânea e uma constante transformação.

Através das práticas de introspecção e de pacificação da mente, a nossa energia divina interior vai purificando gradualmente nossos condionamentos negativos e limitantes.

A nossa própria mente é a raiz de todas as experiências e condições que nos afetam. O que nossa mente acredita, seja bom ou ruim, será verdade para nós. Assim, atraímos com as vibrações, as experiências correspondentes a nossos pensamentos habituais e predominantes.

Dessa maneira, o Yoga diz que o ser humano é o que pensa e age de acordo com seus sentimentos. Diz que uma pessoa cria seu próprio “inferno” ou seu próprio “céu”, aqui e agora, através de sua própria mente.

Muitas coisas, acontecimentos e pessoas não podemos mudar, mas podemos mudar a nós mesmos. Nosso momento presente é nossa colheita, e não podemos mudá-lo, mas podemos mudar como pensamos, falamos e fazemos. Isto faz toda a diferença.

Ao mudar nossa atitude mental, diminuímos os efeitos das ações que geravam sofrimento. Experiências diárias que eram áridas e estressantes se transformam em experiências de alegria e serenidade.

Ao sentir o amor e contentamento do Ser interior, vamos nos libertando da raiva, dos medos e não somos mais escravos das emoções e sentimentos negativos que surgiam em nós.

Nossa vida é um reflexo dos nossos pensamentos. Assim como ao sorrir, vemos um sorrimos no espelho e ao franzir as sobrancelhas as rugas são refletidas, na mesma maneira, nossa vida pessoal e ambiente são um espelho do que está sendo projetado em nossa mente.

Se a mente é negativa, muitas coisas parecerão erradas e se a mente é positiva, tudo parecerá bem.

Não somos afetados pelas outras pessoas e pelas circunstâncias como pensamos que somos. Somos afetados pelo que acontece dentro de nós. Somos afetados pelos nossos próprios pensamentos e sentimentos.

Quando temos a tendência de culpar a outra pessoa ou a alguma outra coisa pelo que sentimos ou estamos experimentando, deveríamos nos analisar. Deveríamos lembrar a verdade: O que sentimos ou experimentamos é devido a nós mesmos. Somos governados pela mente. Não podemos pensar uma coisa e sentir outra coisa.

Nossos sentimentos e experiências correspondem aos nossos pensamentos. Não pode ser de outra maneira. Assim, pare com o hábito de culpar os outros, de culpar as circunstâncias e os acontecimentos.

Muitas pessoas não se amam e acham até que seria egoísmo amarem a si mesmas. Elas não têm boa autoestima e não se valorizam. E esse é o problema básico da vida delas e de onde surgem muitos problemas. Quando uma pessoa muda sua atitude sobre si mesma, tudo muda para melhor.

Você tem lembrado de se amar? Amar é se respeitar. É honrar seu próprio Ser interior.

É muito importante lembrar de se amar. Coloque um lembrete para você mesmo: “Eu me amo. Eu me aceito. Eu gosto de mim da maneira que eu sou.”

Fique em paz! Namastê! Deus em mim reverencia Deus em você!




Emilce Shrividya Starling

É formada em Yoga pela Federação de Yoga do Brasil e Centro de Estudos de Yoga Narayana/S.P, com aperfeiçoamento em Hatha Yoga e Meditação nos Estados Unidos. É professora de Hatha Yoga em Santos (SP), desde 1989. Atualmente ensina Filosofia do Yoga e Meditação.



ENQUETE

Para você, muitas vezes, ficar no estado de solidão pode significar sinônimo de alegria e liberdade?





VOTAR!
Vya Estelar - Qualidade de vida na web - Todos os direitos reservados ®1999 - 2017
O portal Vya Estelar não se responsabiliza pelas informações e opinião de seus colunistas emitidas em artigos assinados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação.