DESTAQUES

Para amar o outro e preciso, primeiro, amar a si mesmo; aprenda a fazê-lo

Tatiana Ades 01/01/2016 PSICOLOGIA
Construir um amor real é o mais difícil

por Tatiana Ades

A arte de amar - "Se um ator precisa representar um papel, cabe a ele toda a preparação do personagem, a perseverança, o autodomínio. Se você deseja amar de forma saudável, deve saber que isso exige tempo, muita persistência e sabedoria. Só assim virá a maturidade necessária para alcançar o amor real, saudável e pacífico"

Relendo acima a fantástica literatura do psicanalista alemão Erich Fromm (23/03/1900 – 18/03/1980), me senti totalmente tocada pelas mensagens universais e tão saudáveis em relação ao amor.

Assim como ele, concordo que amar é uma arte. Como qualquer ofício na vida, devemos batalhar para que possamos construir. Essa batalha consiste em perseverança e maturidade.

Se um ator precisa representar um papel, cabe a ele toda a preparação do personagem, a perseverança, o autodomínio.

Assim como as profissões, o mesmo ocorre com o amor. Se você deseja amar de forma saudável, deve saber que isso exige tempo, muita persistência e sabedoria. Só assim virá a maturidade necessária para alcançar o amor real, saudável e pacífico.

As três fases do amor

1ª fase - paixão

Nessa fase todo o organismo 'sofre' uma alteração significativa, os sentidos ficam mais apurados e a pessoa sente uma sensação de êxtase; há uma espécie de excitação; não há muita percepção em relação aos erros do parceiro.

2ª fase - percepção real do outro

A segunda fase é o momento onde a paixão cede espaço para a percepção real do outro, o que geralmente pode causar decepção e até sensação de desapego. É nessa fase que a pessoa decidirá racionalmente se quer prosseguir adiante ou não. Por isso é importante enxergar o outro com olhos bem mais abertos.

3ª fase – construção do amor real

A terceira e mais difícil fase é a construção do amor real. A tarefa é difícil, pois requer a aplicação dos itens citados acima: paciência, esforço, perseverança e maturidade.

Saber amar é realmente uma arte, pois esse alto grau de maturidade exige que amemos a nós mesmos antes de amar o outro. De outra forma, será impossível.

Isso porque você deve ser uma unidade ligada à outra pessoa e não metade de uma pessoa simbioticamente presa á outra.

Como construir a capacidade de amar?

Já falamos que é preciso amar-se para poder praticar o amor saudável em sua plenitude, mas você pode estar pensando: como fazer isso?

1º) Concentre-se em você, faça meditações ou atividades que goste, passe mais tempo com você mesmo;

2º) Exija de si uma lucidez de quem você é, defina sua personalidade, seus limites, torne-se uma pessoa única;

3º) Saiba estabelecer suas regras, pense nas suas possibilidades de saber doar e saber receber;

4º) Seja muito sincero com seus defeitos de caráter, encare-os de frente, modifique-se se necessário;

5º) Seja uma pessoa bondosa e caridosa, aprenda a amar a humanidade, pois assim as chances de amar a si mesmo tornam-se mais fáceis.

E assim, vá construindo em você a possibilidade da arte de amar!

COMUNICAR ERRO

Tatiana Ades

É psicanalista e escritora e teatróloga. Em seus livros, o foco de estudo é o comportamento humano e o amor patológico. Tem em seu currículo várias peças escritas e encenadas nos teatros de São Paulo, além de ter concorrido ao prêmio Shell de melhor texto teatral com Os Viúvos – Teatro Ruth Escobar (2003). Como escritora, em 1998, ganhou um concurso com o conto O silêncio da raposa. Eles são o resultado de uma pesquisa de três anos: Hades – Homens que amam demais e As escravas de Eros.

Vya Estelar - Qualidade de vida na web - Todos os direitos reservados ®1999 - 2016
O portal Vya Estelar não se responsabiliza pelas informações e opinião de seus colunistas emitidas em artigos assinados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação.