DESTAQUES

Crianças índigo: elas são especiais e vieram para mudar noissa visão de mundo... Parte III

Carminha Levy 01/01/2016 COMPORTAMENTO
Os Índigos são abertos e honestos

por Carminha Levy

Indigos são donos do seu futuro, sabem inconscientemente o que serão na vida

Este é o terceiro texto de uma série sobre o tema crianças indigo. Para ler os dois primeiros - clique aqui.

Em continuação deste breve estudo introdutório sobre as crianças índigo, precisamos examinar tanto seus atributos positivos como também três complicações que usualmente aparecem:

Primeira: elas demandam mais atenção e sentem que a vida é muito preciosa para deixar escapar. Elas querem que as coisas aconteçam e frequentemente forçam situações para realizarem o desejado. Os pais facilmente caem em armadilhas de fazer para a criança ao invés de desempenhar um papel na modelagem ou no compartilhamento.

Segunda: essas crianças podem tornar-se emocionalmente irritadas por pessoas que não entendam o fenômeno índigo. Elas não podem compreender por que as pessoas operam em modalidades não baseadas no amor. Porém, elas são extremamente hábeis para ajudar crianças carentes, embora essa ajuda seja frequentemente rejeitada por querm precisa. Quando jovens, eles podem ter problemas de ajustamento com outras crianças.

Terceira: as crianças índigo são frequentemente rotuladas como tendo (Attention Deficit Disorder) ou alguma forma de hiperatividade. Em muitos casos são tratados com química quando deveriam ser tratados de forma diferente. O tratamento com remédios pode, na maior parte dos casos transformar um índigo num doente psiquiátrico.

O que podemos fazer?

Essas crianças estão aqui para nos ajudar na transformação do mundo. Portanto, nós precisamos aprender com elas, principalmente escutando-as e observando-as. Sem deixar de lado algumas regras básicas que precisamos observar para não tolhermos seu brilho:

• Trate os índigos com respeito. Honre sua existência na família.

• Ajude-os a criar suas próprias soluções disciplinadas.

• Dê a eles escolha em tudo.

• Nunca os diminua, nunca.

• Sempre explique o por quê de você dar instruções. Escute essas explicações e veja se fazem sentido para você. Jamais use a expressão "porque eu disse que deve ser assim". Se você concorda com expressões assim, então reconsidere suas instruções e as mude. Eles o respeitarão por isso e esperarão. Mas se você der a eles ordens autoritárias e ditatoriais sem bondade e razões sólidas, essas crianças o derrotarão. Elas simplesmente não vão obedecer e o que é pior, elas vão dar uma lista de motivos que desclassificam suas intenções. Algumas vezes suas razões podem ser simples, como por exemplo, "porque isso vai me ajudar hoje, pois estou realmente cansado". A honestidade vencerá como nunca antes. Eles vão pensar sobre isso e acatarão.

• Faça deles um parceiro no relacionamento. Pense bastante sobre esse aspecto.

• Quando crianças, explique tudo que você estiver fazendo para eles. Eles podem não entender, no entanto, eles perceberão sua consideração para com eles. Esta é uma tremenda dica antes deles aprenderem a falar.

• Se problemas sérios desenvolverem, só inicie tratamento baseado em droga como última escolha.

• Provenha segurança no seu suporte a eles. Evite crítica negativa. Sempre deixe-os saber que você os apoiará em todos os momentos. Eles crescerão em sintonia com suas verbalizações e irão surpreendê-lo durante o processo. Então, celebrem juntos. Não os faça simplesmente realizar, mas permita que eles façam com encorajamento.

• Não os diga quem eles são, ou o que eles vão ser no futuro. Eles sabem melhor que você. Deixe que eles decidam suas áreas de interesse e não os force a continuar em alguma profissão que a família vem desempenhando por gerações. Essas crianças absolutamente não serão seguidoras.

Dicas no relacionamento com índigos

• Os Índigos são abertos e honestos, isso não é uma vulnerabilidade, mas a maior força. Se você não for aberto e honesto com eles, mesmo assim eles serão com você, no entanto, eles não o respeitarão.

• Marasmo pode trazer arrogância para os índigos, portanto não os deixe cair no marasmo. Se eles agem de forma arrogante, isso significa que eles precisam de novos desafios e novos limites. Alimente seus cérebros mantendo-os ocupados da melhor forma possível.

• Pais, professores e orientadores devem estar aptos para definir e manter limites claros, ainda que suficientemente flexíveis para mudar e ajustar esses limites quando necessário, baseados no crescimento emocional e mental, pois os Índigos crescem rápido. Ser firme mas justo é necessário para a segurança deles e para nossa.

• A mensagem dada e transmitida pelos adultos deve ser mais prazerosa do que dolorosa, e mais baseada no amor do que no medo.

• Mantenha a criança informada e envolvida.

• Evite mal entendidos simplesmente dando explicações.

• Não perca a paciência com sua criança.

• Evite dar ordem (verbos no imperativo). Ao invés de ordens verbais, utilize o toque para chamar a atenção deles. Eles são muito sensíveis ao tato (toque no ombro, aperto de mão, abraço, etc).

• Mantenha sua palavra.

• Negocie em cada situação.

• Não esconda nada e não use linguagem abusiva.

• Deixe sua emoção mostrar amor e não ódio.

• Se uma repreensão é dada, crie situações de dar um tempo ou folga.

• Discuta a situação geradora da repreensão após seu término.

• Depois de tudo, sempre reúna com a criança e reveja se houve um aprendizado e crescimento após a repreensão.

• Importante, lembre-se que punição não funcionará com essas crianças. Punição é diferente de repreensão. Punição é baseada na culpa enquanto que repreensão é baseada num crescimento ou melhoramento.

Cuidados com os métodos educacionais na escola

Na educação ou na escolha de escola devemos ter em mente que nós temos que ensinar as crianças como pensar e não o que pensar. Nossa regra não é passar o conhecimento, mas, ao invés, a sabedoria. Sabedoria é o conhecimento aplicado. Quando nós somente damos conhecimento para as crianças, nós estamos dizendo a elas o que pensar, o que elas supostamente devem saber e o que nós queremos que elas acreditem que seja verdade.

Quando nós damos às crianças sabedoria, no entanto, nós não dizemos a elas o que pensar ou o que é verdade. Ao invés disso, nós dizemos a elas como obter sua própria verdade. Naturalmente, nós não podemos ignorar o conhecimento quando ensinamos sabedoria, porque sem conhecimento não existe sabedoria. Um certo montante de conhecimento deve ser passado de uma geração para a próxima, mas nós devemos deixar as crianças descobrirem por elas mesmas. O conhecimento é frequentemente perdido, mas a sabedoria nunca é esquecida.

Os velhos padrões de energia são baseados na crença fundamental que as crianças são vasos vazios que devem ser preenchidos com conhecimento pelos experts, os professores. Nessa atmosfera, qualquer criança que não se encaixe nesse modelo será considerada como tendo um problema.

Com estas considerações, concluimos mais um pouco deste pequeno resumo desta grande questão: Os Índigos, os grandes transformadores da Nova Energia, os guardiões da Idade de Ouro.




Carminha Levy

Pioneira no ensino simultâneo de Xamanismo e Psicologia, criou um programa de Facilitadores Xamânicos em Xamanismo Matricial que resgata a sabedoria da Grande Deusa Mãe Terra: a Madona Negra - o matriarcado associando-o ao patriarcado - o Xamanismo Matricial. Instrutora do Neoxamanismo no Brasil



ENQUETE

Você é feliz no trabalho?





VOTAR!
Vya Estelar - Qualidade de vida na web - Todos os direitos reservados ®1999 - 2017
O portal Vya Estelar não se responsabiliza pelas informações e opinião de seus colunistas emitidas em artigos assinados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação.