DESTAQUES

Como lidar com o constrangimento após uma DR?

Anette Lewin 01/01/2016 PSICOLOGIA
O importante é agir sem pressão

por Anette Lewin

"Quero saber como chegar nele após uma discussão? Acho constrangedor ter que pedir desculpas toda vez; se não puxar assunto, ele fica até um mês sem falar comigo"

Resposta: Você começa a perceber que pedidos de desculpas não resolvem problemas. Apenas sinalizam ao parceiro que você acredita estar sempre errada e ele sempre certo no que diz ou faz.

Será que é assim mesmo? Será que o fato de ele ficar emburrado sinaliza que ele tem razão? Ou essa atitude dele acaba fragilizando você que passa a acreditar que não é mais capaz de estabelecer seus próprios conceitos sobre certo e errado?

Parece que está na hora de reavaliar tudo isso. Todos nós temos nossas ideias, nossos princípios e, principalmente, nossa sensibilidade. Quando convivemos com alguém, certamente acontecerão divergências e cada um olhará e avaliará uma mesma situação de modo diferente. Nem sempre existirá o que tem razão e o que está errado. Na maioria das vezes são apenas olhares diferentes sobre um fato.

Assim, talvez a primeira coisa a ser reavaliada são seus pedidos de desculpas. É possível substituí-los por algo menos radical e menos falso. Sim, falso, porque quando você pede desculpas não está realmente convencida que errou, não é? Apenas tenta reatar o contato com essa atitude. Mas, pelo jeito, não funciona ... Que tal aprender a defender seus pontos de vista de um modo mais versátil? Que tal dizer que sua percepção é diferente da dele?

Talvez assim ele volte a ter interesse em ouvir você, pois uma pessoa que fica um mês sem querer ouví-la, no mínimo, não deve achar muita graça no que você diz. Defenda-se, argumente, expresse suas opiniões. Pelo menos tente fazer isso. Com certeza você descobrirá vários aspectos seus que se encontram escondidos por trás dessa capa de falsa humildade.

Quebrar o gelo

Se para quebrar o gelo depois de uma discussão a iniciativa tem que ser sua, tente nessas situações evitar pontos polêmicos. Procure assuntos sobre os quais vocês têm pontos de vista parecidos. Deve existir algum, não é? Uma música que agrada, a comidinha de que ambos gostam, a compra de ingressos para o show de uma banda amada pelos dois. Caso ele continue emburrado, pare e faça uma nova tentativa depois de algum tempo. O importante é agir sem pressão. Talvez seja importante para ele ficar calado e sozinho de vez em quando. Assim, contenha sua ansiedade em "fazer as pazes" o mais rápido possível e tente, nessas situações, entreter-se com suas próprias coisas. Mais cedo ou mais tarde vocês acabam retomando o contato.

Certamente existirão situações onde, após uma reflexão,você perceberá que errou. Guarde os pedidos de desculpas para essas situações onde existe uma maior chance de serem aceitos. E procure não cometer os mesmos "erros" em uma próxima situação. Tente, frente a uma real atitude de arrependimento, agir de forma mais sensata e menos impulsiva. Pense antes de agir.

Entenda que num relacionamento amoroso sempre existirão pontos de discórdia que precisarão ser negociados. Quando não for possível um acordo, alguém tem que recuar. De preferência cada vez um. Você precisa sair, aos poucos, dessa posição de ceder à pressão da cara amarrada, abandonando momentaneamente suas ideias apenas para satisfazer seu parceiro. Se você quer lutar pelo seu casamento, precisa primeiramente lutar pela sua identidade, pelas suas posições, pelos seus sentimentos. Quem gosta de si mesma tem muito mais chances de ser gostada por alguém. Aprenda a defender seus pontos de vista ao invés de simplesmente pedir desculpas por quem você é.

Vya Estelar Responde

Vya Estelar quer colocar você, querido leitor, mais perto ainda de nós. Esse profissional irá responder dúvidas enviadas pelos internautas sobre um determinado tema. A psicóloga Anette Lewin responderá sobre relacionamento amoroso, conflitos na vida a dois e conjugal. Os e-mails serão selecionados e editados de acordo com critério editorial do Vya Estelar, já que não será possível responder a todos. Seu nome e e-mail serão preservados.

ENVIAR PERGUNTA
COMUNICAR ERRO

Anette Lewin

É psicóloga graduada pela PUC/SP. É psicoterapeuta de adultos e adolescentes em consultório particular desde 1975 até a presente data.

ENQUETE

A pochete masculina dos anos 90 está voltando... Isso é brega?





VOTAR!
Vya Estelar - Qualidade de vida na web - Todos os direitos reservados ®1999 - 2017
O portal Vya Estelar não se responsabiliza pelas informações e opinião de seus colunistas emitidas em artigos assinados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação.