DESTAQUES

Busque o caminho do meio no seu dia a dia

Emilce Shrividya Starling 01/01/2016 AUTOCONHECIMENTO
Tenha disciplina e determinação, mas com alegria e entusiasmo

por Emilce Shrividya Starling

Contemple esses sábios ensinamentos do livro sagrado do Yoga, A Bhagavad Gita:

Cap. VI estrofe 16: “A união mística com a Divindade não é atingível, porém, para aquele que é comilão, nem para quem jejua demasiadamente, nem para o dorminhoco, nem para quem se debilita por demasiadas vigílias. Quem quer ser yogi, há de evitar os extremos e seguir o dourado caminho do meio.”

Na estrofe 17: “A ciência yogi, que destrói o sofrimento, é realizável para os que observam moderação e temperança em comida e recreio, em ação e descanso; para que aqueles que, fugindo do mal do excesso em ação, não caem no mal oposto do excesso em repressão.”

Antes de alcançar o dourado caminho do meio, geralmente, o ser humano percorre os caminhos dos extremos, e fica perdido e reprimido. Ora vive apenas os prazeres da vida material, se esquecendo da vida espiritual. Ora se reprime, evitando as alegrias saudáveis da vida, pensando que seguir um caminho espiritual é ser sério e rígido.

O Yoga gosta de ensinar através de contos, pois é mais fácil assimilar os ensinamentos.

Reflita, então sobre esse conto:

“Era uma vez um jovem que visitou um grande sábio para perguntar-lhe como é que deveria viver para adquirir a sabedoria. O ancião, ao invés de responder, propôs um desafio:

- Vou encher uma colher de azeite e você vai percorrer todos os cantos deste lugar, mas não deixe derramar uma gota sequer. Após ter concordado, o jovem saiu com a colher na mão andando com passos pequenos, olhando fixamente para ela e segurando-a com muita firmeza. Ao voltar, orgulhoso por ter conseguido cumprir a tarefa, mostrou a colher ao ancião, que perguntou:

- Você viu as belíssimas árvores que havia no caminho? Sentiu os aromas das flores maravilhosas do jardim? Escutou o canto dos pássaros:

Sem entender muito o porquê disso tudo, o jovem respondeu que não, e o ancião disse:

- Assim você nunca encontrará sabedoria na vida; vivendo apenas para cumprir suas obrigações sem usufruir das maravilhas do mundo. Assim nunca será sábio.

Em seguida, pediu para o jovem repetir a tarefa, mas desta vez observando tudo pelo caminho. E lá foi o rapaz com a colher na mão, olhando e se encantando com tudo. Esqueceu da colher e passou a observar as árvores, cheirar as flores e ouvir os pássaros. Ao voltar, o ancião perguntou se ele viu tudo e o jovem extasiado disse que sim. O velho sábio pediu para ver a colher e o jovem percebeu que tinha derramado todo o conteúdo pelo caminho.
E o ancião disse:

- Assim você nunca encontrará sabedoria na vida, vivendo para as alegrias do mundo sem cumprir suas obrigações. Assim nunca será sábio.

Para alcançar a sabedoria, terá que cumprir suas obrigações sem perder a alegria de viver. Somente assim conhecerá a verdadeira sabedoria.”

Contemple como tem sido sua atitude perante à vida:

Você é perfeccionista?

Está sempre se julgando, se cobrando e também julgando e criticando os outros?

Você está sempre ocupado, preocupado com o trabalho, sem achar um tempo para seu lazer?

Vive apressado, ansioso, com muitas tarefas?

Ou você priorizou seu tempo para dar uma caminhada, para praticar hatha yoga, para relaxar, para praticar um exercício físico saudável?

Quando você caminha na rua, você percebe a beleza das árvores, a arquitetura bonita das casas e edifícios? Ou está sempre voltado para si mesmo, egoisticamente pensando apenas em seus problemas?

Você leva suas preocupações do trabalho para casa, ou consegue separar os vários momentos de sua vida?

Sabe equilibrar seus deveres e lazer?

Vive apenas voltado para a vida mundana, para atividades fúteis, esquecendo de suas obrigações?

Pensa apenas nos prazeres dos sentidos e deixa que eles o dominem com vícios prejudiciais?

Ou tem o autodomínio de escolher os prazeres benéficos, vivendo com moderação sem vícios?

Lembra de Deus em sua vida diária?

O sábio livro budista Dhammapada, A Senda da Virtude, diz:

Cap.XX. Do Caminho:
Sloka (estrofe)280:

Aquele que, quando é tempo de levantar-se, não se levanta,
Jovem, forte, dado à ociosidade.
Indolente, fraco em pensamento e vontade,
Este preguiçoso o caminho da sabedoria não encontra.

281: Vigiando sua fala, na mente bem controlada,
Que ele não faça nada insalutar por meio de seu corpo;
Que ele purifique estas três vias de ação,
E atinja o Caminho pelo santo homem ensinado.

Praticar a Contemplação (Dharana, em sânscrito) é uma maneira de se autoconhecer, de perceber seus erros e corrigi-los, sem se culpar.

É uma maneira também de reconhecer suas qualidades e se valorizar.

É muito importante entender o paradoxo do Yoga e vivenciá-lo em sua vida:

Ser responsável e ter a leveza de espírito.
Ser firme e flexível.
Ter disciplina e determinação, com alegria e entusiasmo.
Ser forte como um aço e ao mesmo tempo suave como a manteiga.
Equilibrar a vida material e a vida espiritual.

Procure aplicar esses ensinamentos em sua vida e alcance o dourado caminho do meio. Fique em paz! Namastê! Deus em mim saúda Deus em você!




Criteo Publicidade:

Emilce Shrividya Starling

É formada em Yoga pela Federação de Yoga do Brasil e Centro de Estudos de Yoga Narayana/S.P, com aperfeiçoamento em Hatha Yoga e Meditação nos Estados Unidos. É professora de Hatha Yoga em Santos (SP), desde 1989. Atualmente ensina Filosofia do Yoga e Meditação.



ENQUETE

A universidade Yiwu Industrial and Commercial College em Shangai (China), oferece curso de graduação – de 3 anos - para formar pessoas que querem se tornar celebridades nas redes sociais. O que você acha?





VOTAR!
Vya Estelar - Qualidade de vida na web - Todos os direitos reservados ®1999 - 2017
O portal Vya Estelar não se responsabiliza pelas informações e opinião de seus colunistas emitidas em artigos assinados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação.