DESTAQUES

Afinal, qual é o sentido da vida?

Emilce Shrividya Starling 10/10/2017 AUTOCONHECIMENTO
Afinal, qual é o sentido da vida?
Fonte: imagem Pixabay
Cada pensamento, minuto a minuto, molda sua vida

por Emilce Shrividya

Quer consideremos a vida boa ou um fardo, temos uma vida e somos responsáveis por ela. Podemos descobrir nosso dharma (nosso dever, nossa missão nesse planeta de aprendizado), através de uma mente iluminada, sem pensamentos destrutivos.

A Filosofia do Yoga nos ensina a fazer o autoquestionamento: “Quem sou eu?” “Por que nasci”?”“; O que devo fazer?”“; O que é esse mundo?“ “ Qual o propósito da minha vida?”

Mas muitas pessoas tentam ignorar essas verdades e se iludem com vidas fúteis e vazias. Perdem o tempo precioso aqui na Terra para a evolução e para cumprirem a missão para que nasceram.

Um verdadeiro buscador quer encontrar o sentido da vida. Ele anseia pelo autoconhecimento e quer descobrir qual o propósito de sua vida nesse mundo. E, para isso, ele precisa de uma mente clara, serena que reflita a sabedoria e compaixão, qualidades que estão dentro de cada um de nós, esperando serem desenvolvidas.

Para conseguirmos a tranquilidade da mente, é necessário um autoesforço contínuo para afastá-la dos pensamentos negativos e fantasias alucinadas. Temos que purificá-la da constante distração e inquietude, da tagarelice mental, reclamações e teimosia internas.

Por uns momentos agora, apenas observe sua mente. Adote uma postura confortável para fazer uma técnica de concentração do yoga: observar a mente. Feche os olhos. Tome consciência da sua respiração. Não faça nada para respirar. Sinta que a respiração entra e sai naturalmente.

Apenas observe o que a mente faz. Não tente mudar nada nem julgar. Perceba os primeiros pensamentos surgindo e indo embora.

Faça essa autorreflexão: “Sua mente pensa sem parar? Ela não para?”; “Por que você acha que sua mente pensa tanto?”; Como você se sente quando sua mente está ansiosa, impaciente, com medo?”

“Você é conduzido por sua mente ou tem domínio sobre ela?”; “Quais são os benefícios que você recebe quando sua mente está calma?”

Você precisa reconhecer que sua mente molda seu destino. Precisa perceber que cada pensamento, minuto a minuto, molda sua vida. Se você tem autodomínio e conquistou a serenidade mental, sua mente pode conduzi-lo à felicidade interior. Por outro lado, se você não tem controle sobre sua mente, ela pode exaurir e adoecer você. Ela pode levá-lo ao sofrimento mental e emocional.

Portanto, a mesma mente pode ser sua amiga ou inimiga. E, acredite se quiser, a opção é sua. É você que torna a mente inimiga ou amiga. Você que escolhe alimentar pensamentos negativos ou escolhe pensar positivamente. Entenda que você é criador de sua vida. Somente pode sentir o que pensa.

A mente precisa ser purificada para recuperar seu brilho e manifestar as virtudes como amor, generosidade, bondade, compaixão. É nosso dever desenvolvermos essas joias preciosas que habitam em nós.

A Filosofia do Yoga nos ensina as ferramentas necessárias para a purificação da mente. Na Bhagavad Gita, escritura indiana, o Senhor Krishna nos diz:” Paz de espírito, gentileza, silêncio, autocontrole e pureza de ser; essas são denominadas austeridades da mente”.

É necessário autoesforço, disciplina e determinação para conseguirmos a tranquilidade da mente. Para alcançar a paz de espírito, precisamos fazer as pazes com a nossa mente. E, fazer as pazes com Deus, compreendendo que Deus habita em nosso interior.

Publicidade - o texto continua abaixo.



O Yoga compreende o poder que a mente tem sobre nós. Ela é que decide seguir ou não as nossas resoluções. Ela faz escolhas o tempo todo. Pode criar armadilhas para nos enganar e iludir. Ou pode buscar a luz e a serenidade. Ela é muito poderosa. Portanto, o Yoga nos ensina que o momento importante para fazer as pazes com a mente é Agora.

Existem muitas técnicas para trazer serenidade. Experimente quais funcionam melhor para você. Aprenda a acalmá-la com relaxamento, meditação, canto dos mantras, musicas Zen. Experimente dançar e entregar-se à dança. A entrega à musica e à dança nos leva ao contentamento e equilibra as emoções e sentimentos.

Busque o contato com a natureza. Foque sua mente no azul do céu, na beleza do mar ou de um riacho, nas lindas cores do nascer ou pôr-do-sol, no encanto das flores. Perceba que a natureza tem o poder de trazer paz interior.

Perceba quando sua mente consegue se tranquilizar e aprenda a levar essa experiência de paz para suas atividades diárias. Aprenda a observar sua mente e alcance o autodomínio mesmo nas crises. Quando você cuida da sua mente e não permite que ela corra solta por onde quer, você se lembrará de Deus mesmo nos momentos difíceis e conquistará um apoio interior que será sempre seu porto seguro.

Namaste! Deus em mim saúda e agradece Deus em você! Fique em paz!




TAGS :

    darma, sentido, vida, existência, tranquilizar, mente

Emilce Shrividya Starling

É formada em Yoga pela Federação de Yoga do Brasil e Centro de Estudos de Yoga Narayana/S.P, com aperfeiçoamento em Hatha Yoga e Meditação nos Estados Unidos. É professora de Hatha Yoga em Santos (SP), desde 1989. Atualmente ensina Filosofia do Yoga e Meditação.



ENQUETE

Para você, muitas vezes, ficar no estado de solidão pode significar sinônimo de alegria e liberdade?





VOTAR!
Vya Estelar - Qualidade de vida na web - Todos os direitos reservados ®1999 - 2017
O portal Vya Estelar não se responsabiliza pelas informações e opinião de seus colunistas emitidas em artigos assinados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação.